Margem operacional: o que é, como calcular e para que serve?

Margem Operacional é um indicador financeiro que mede a eficiência operacional de uma empresa. Ela mostra os resultados operacionais, indicando as receitas e os lucros: a saúde financeira, a partir da divisão do lucro operacional pela receita líquida.   

Por isso, analisar esse indicador é importante para as empresas, os seus gestores e futuros investidores, porque permite que avaliem a capacidade de geração de bons resultados, além de possibilitar a tomada de decisão baseada em dados. 

Como calcular e interpretar a Margem Operacional? 

É calculada a partir da divisão do lucro operacional pela receita líquida:

Margem Operacional = Lucro Operacional ÷ Receita Líquida 

Lembrando que o lucro operacional é o total da Receita Líquida descontando os custos/despesas envolvidos na produção, mas sem aplicação de custos financeiros. 

Digamos que uma empresa acumulou um lucro operacional de R$ 370.000,00 dentro de um período e a receita líquida, desse mesmo período, foi de R$ 987.000,00. Com isso teremos: 

Margem Operacional = Lucro Operacional ÷ Receita Líquida 

Margem Operacional = 370.000,00 ÷ 987.000,00 

Margem Operacional: 0,374 x 100 

Margem Operacional: 37,4 % 

  

Então, podemos afirmar que 37,4% das vendas brutas se transformaram em lucro operacional. 

É importante lembrar que Lucro Operacional e Receita Líquida são dados presentes na DRE – Demonstração de Resultado de Exercício, ferramentas indispensáveis para uma boa gestão empresarial. 

Como esse indicador ajuda o gestor ou o investidor? 

Para um investidor, idealmente, um bom resultado se aproxima de uma maior fatia de receita líquida dentro do lucro operacional. Mas é necessário avaliar bem em qual empresa investir, comparando outras empresas do mesmo segmento. 

Ao colocar várias empresas em comparação, as diferenças nos percentuais indicam qual conseguiu um melhor desempenho gerando lucro operacional com sua receita líquida. 

Para os gestores, a Margem Líquida direciona as tomadas de decisões: crescimento, custos/despesas para o oferecimento do serviço/produto, lucro ou prejuízo, o quanto de receitas líquidas provenientes de vendas e serviços vieram de suas atividades operacionais etc. 

O gestor e o investidor entendem qual é a participação das receitas operacionais, que são originadas pelas atividade principais da empresa, verificando se há lucro na fatia da receita originada da atividade principal. 

Cuidados necessários ao analisar a margem operacional 

É importante para o investidor examinar não só uma análise que considere um mesmo setor, mas outros indicadores financeiros para que avalie bem qual é a melhor decisão de investimento. Outro cuidado diz respeito a uma retrospectiva de indicadores de outros períodos, para ter um melhor contexto da empresa. 

Para o gestor, é importante ter o dado a partir de demonstrações contábeis precisas e atualizadas, para que compreenda o funcionamento de seu negócio.  

Você utiliza esse indicador para gerenciar a sua empresa ou para investir em novos negócios? Divida conosco a sua experiência!